Tags

, , , ,

Zuckerberg e a entrevista fictícia

Zuckerberg e a entrevista fictícia

O repórter recebe uma denúncia de que Mark Zuckerberg foi preso furtando um pacote de MMs numa loja de conveniência. Na era da informação rápida, o que faz? Publica rapidamente uma nota em seu blog, avisando que logo terá mais informações, ou telefona para a delegacia e pergunta ao delegado se há confirmação da “notícia”?

O nariz de cera acima foi necessário para discutir uma “notícia” republicada por centenas de blogs nestas segunda e terça-feira, a partir de “reportagem” do site de humor g17, de que Zuckerberg teria dito à CNN que “está triste com o comportamento dos brasileiros na rede social Facebook”.

– ‘Se por um lado, os brasileiros fazem o Facebook crescer, por outro estragam tudo’, disse Mark Zuckerberg.

O jornalismo está em cheque, segundo alguns mais apressados, mas o fato é que nunca foi mais promissor que agora. A era dos amadores que pensam que podem ser jornalistas não tem futuro. Os blogs dessa galera desinformam e multiplicam barbaridades como a falsa entrevista do fundador do Facebook.

Podem funcionar para alguns, como a fofoca boca-a-boca de antigamente, mas não servem para quem precisa tomar decisões com base em fatos. O verdadeiro jornalismo é ainda mais necessário nesta época da “informação online”. Os jornais impressos estão numa encruzilhada, mas o jornalista profissional é cada vez mais necessário.

 

Anúncios