De palavra em palavra

Palavras são como pedras
Existem em todas as formas
São redondas como bola
Ovais ou quadradas
Pontiagudas como faca
Cortantes como estrela

Palavras são coloridas
Têm todos os matizes
Verdes, amarelas, cinzas
Escuras como o breu
Transparentes como a retina
Multicores como o arco-íris

Palavras existem como oceanos
São pacíficas ou revoltosas
Banham gentes e continentes
Metem-se por entre todas as terras
Lavam o fundo dos mares abissais
Matam como uma onda gigante

Palavras são como drogas
Há as que matam e as que salvam
Têm sabor agradável ou não
Curam enfermidades não-curáveis
Eliminam bactérias como antibiótico
Mas estragam fígados, rins e pulmões

Palavras também são como pipas
Voam alto ou enroscam nos telhados
Dão prazer ao olhar dos muitos meninos
Mas cortam dedos e mãos com o cerol
Sobem e descem ao sabor dos ventos
Ganham o espaço e os precipícios

Palavras existem para humanizar
São a essência da natureza do ser
Sem elas não haveria humanidade
Todas as palavras nascem belas
Mas mudam o sentido e o sentimento
Uma palavra é sempre igual ao dono

Anúncios