Tags

, , , , ,

Twitter

Olha o passarinho!

Escrever para o Twitter! Eis aí um desafio. Parece simples escrever em 140 toques, mas veja o problemão. O roteiro de uma video-reportagem não tem muito segredo. Afinal, as imagens estão ali para sustentar e reforçar o texto. Mas, com o passarinho, é preciso convencer o sujeito que está na outra ponta a clicar no link para ter a informação completa. A maioria prefere o prato feito.

Construir a mensagem certa demanda tempo e análise, tudo o que a web não nos permite. Se a maioria ainda tem dificuldades de ser claro e conciso ao escrever para jornal ou revista, ou mesmo para portal de notícias ou e-mail, no Twitter a coisa se complica ainda mais. Mas não dá pra ficar parado. Algumas dicas podem ser úteis.

A maioria dos e-mails que recebemos contêm erros gramaticais, usam caixa baixa ou alta indevidamente e só desperdiçam o tempo da gente. Com o Twitter é a mesma coisa ou até pior. Não dá para clicar num link que se segue a um texto feio. Muitos tuiteiros postam dezenas ou centenas de vezes por dia. É a rede social mais poluída da blogosfera.

Abreviações são um inferno. Muitas vezes, nem eu mesmo entendo algumas delas, o que me afasta naturalmente. Recentemente, um americano me mandou a seguinte mensagem: “No xd”, sobre um pergunta que lhe tinha feito. Alguém sabe o que quer dizer xd? É uma espécie de cartão de memória e o gringo queria dizer que não lembrava. Bata-me um abacate, please!

A base do Twitter vem crescendo rapidamente, o que torna até termos muito conhecidos dos veteranos algo parecido com grego. Uma amiga minha perguntou recentemente o que eram aqueles “#” nas mensagens. As hashtags também são novidade para muitos.

TweetDeck

TweetDeck

O Twitter permite a publicação de mensagens instantaneamente e é aí que mora o perigo. O tamanho, neste caso, faz diferença. Não vá pensar que por ser fácil e permitir enviar de um desktop, notebook ou smartfone isso deve ser feito sem pensar. Parece óbvio, mas ninguém faz. Quando se escreve um bilhete, e-mail ou mesmo uma reportagem você relê o que escreveu? Os tuítes bem pensados e relidos são mais eficientes.

Os links são outra característica do Twitter. Chamando para uma notícia ou artigo, o texto que o precede deve ser conciso, diferenciado dos demais, com humor ou direto à mensagem. Nada de lero-lero. Aliás, escrever para essa ferramenta deveria ser obrigatória para quem escreve para outras mídias, até como exercício.

bit.ly

Links curtos do bit.ly

Por último, o acompanhamento dos tuítes de quem lhe segue e você segue. É preciso usar ferramentas. TweetDeck é uma delas. Esse software utiliza o bit.ly para encurtar links. Na página, utilizando seu login e senha (feito antes ou durante a instalação do TD), é possível acompanhar a performace dos links tuítados por você.

Boa sorte!

Anúncios