Olá, visita!

Olá, visita!

Quando um amigo ou parente chega de visita, é praxe dizer: “Não se acanhe, você é da casa”. Mas o que isso quer dizer? Que você vai ter que se virar sozinho, porque o anfitrião não vai tratá-lo como visitante. Pegue seu copo de água, trate de procurar alguma coisa que deseje!

Fora de casa, algo semelhante acontece. Quem nunca experimentou chegar no boteco ou na padaria de sempre e o atendente lhe dizer: “Oi, como vai? Peraí que vou atender primeiro aquela moça ali. O senhor já é da casa”. O sujeito dá preferência ao cliente eventual ao costumeiro. Fuja dali!

A prata-da-casa, em muitas empresas brasileiras, principalmente nos jornais, é tratada como o visitante da família ou o cliente contumaz. Parece ter a ver com a natureza humana, que inveja a novidade, o desconhecido. Não adianta saber mais, conhecer mais. Os de fora são sempre mais paparicados. Fuja também!

Anúncios